Um sistema baseado em drones (e Whatsapp) está salvando a vida de mulheres em Ruanda. Neste país localizado no continente africano, a perda de sangue decorrente do parto é a principal causa da morte de grávidas, devido a muitos ocorrerem em locais de difícil acesso.

Uma empresa chamada Zipline, com sede em São Francisco (Estados Unidos), está entregando sangue nessas regiões com drones capazes de voar a 80 milhas por hora, o equivalente a quase 130 km/h. Com isso, o material chega em cerca de meia hora, bem mais rápido do que por transporte terrestre, como era feito anteriormente.

Os profissionais da saúde solicitam o sangue por meio de Whatsapp, mensagens de texto ou um formulário online. O drone, então, é enviando ao local e efetua a entrega sem mesmo pousar. O material é liberado com um paraquedas. Veja um vídeo:

As informações são da newsletter Inside Drones.